gallery/logo novo


Seu Guia de Compras e Vendas em seu Bairro. Prestigie o comércio local, economia para você
 e crescimento para seu Bairro.

 

gallery/8_04122016093056

SALA DE AULA EXPANDIDA: EM VISITA AO ENTORNO DA ESCOLA OS ESTUDANTES OBSERVAM, DISCUTEM E FORMULAM SUAS CRIAÇÕES A RESPEITO DO BAIRRO.
 
A ideia de trabalhar Arte e Meio Ambiente surgiu ao notar o interesse dos alunos em relação as questões ambientais tratadas em atividades e projetos internos da escola EMEF deputado Januario Mantelli Neto.  
E por acreditar nas reflexões do grande educador pernambucano Paulo Freire em seu livro A Pedagogia do Oprimido, que traz princípios como respeito sobre os saberes dos alunos, conhecimento da realidade na qual estão inseridos, a importância de estabelecer relações diretas entre conteúdo e realidade. E, por outro lado no campo da Arte cada vez mais o surgimento dos trabalhos de Intervenções Artísticas sendo realizados pela cidade, todo esse contexto fez com que enquanto arte-educadora pensasse em um trabalho onde os alunos pudessem ter voz ao refletirem sobre os problemas do bairro e o problema mais próximo da escola
Como resposta os estudantes trouxeram uma coletânea de palavras, frases e destaque ao Córrego Barra de Santa Rosa.
O objetivo então era chamar atenção, provocar, tornar visível, mobilizar e tirar as pessoas do olhar cômodo ou invisível sobre o córrego e demais aspectos da comunidade.
Em segundo momento foi apresentado algumas referências de trabalhos artísticos que fazem intervenções e interferem no meio ambiente, nas vias públicas. Trabalhos esses que não só chamam a atenção como também mobilizam as pessoas a participarem de ações conjuntas e coletivas ou que no mínimo provocam reflexões, dão visibilidade.
Dessa forma percorremos três momentos importantes até aqui: as queixas sobre a realidade do bairro, a comunidade como público, o local do trabalho e os estudos das referências artísticas apresentadas. Metodologicamente falando tem-se então um problema, um local, um público e um repertório de referências. Faltava a formulação sobre a solução adequada para aquele espaço que desse conta de dizer tudo o que os alunos acreditavam ser necessário.
O passo seguinte foi pensar como unir tudo em busca de uma resolução. E a solução encontrada foi fazer das palavras não só dizeres, mas imagens que pudessem ser vistas a distância, no alto das árvores. E por ser o córrego um dos suportes para a ação, a presença da água constante, remeteu ao guarda-chuva e com isso o trabalho se resolveu.
   
Professora Elisangela Germano, moradora do bairro há 35 anos.
Licenciada pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo em 2002.
   Leciona Arte na rede Municipal de Ensino há 6 anos e há 14 anos na rede Estadual.

 

Publicado em 29 de nov de 2016
Vídeo sobre o processo de criação da Intervenção Artística realizada no Bairro Vila Cisper, especificamente no Córrego Barra de Santa Rosa. Trabalho realizado nas aulas de Arte sob orientação da Profª. Elisangela Germano com alunos do 6º e 7º ano no decorrer do segundo semestre letivo de 2016.

ÁUDIO/ SOM:
MÚSICA 1: Fábio Caramuru e Marco Bernardo | Águas de Março (Tom Jobim) | Instrumental Sesc Brasil
MÚSICA 2: Compositor Tom Jobim | Águas de Março. Voz: Elis Regina e Tom Jobim.

TRABALHOS DE INTERVENÇÃO COMO REFERÊNCIA:
Obra: The Blue Trees, 2015
Artista: Konstantin Dimopoulos

Obra:Vômito Urbano, 2011
Artistas: Alunos do curso de Arquitetura da UFSC

Obra: Ação complementar no Parque para Brincar e Pensar - Jardim Miriam SP, em parceria com o Coletivo Contra-Filé. 

Obras: Oak Leaves and Holes/ Leaves edging the roots of a sycamore tree, Hampshire, 1 November 2013
Artista: Andy Goldsworthy

Obras: Pets/ Trampolim/ Caiaques
Artista: Eduardo Srur

i

gallery/anubaser